Pular para o conteúdo

PRÊMIO CELSO FURTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL 4ª EDIÇÃO: HOMENAGEM A MILTON SANTOS.

Por Assessoria de Comunicação

Publicação: 19/04/2017 | 22:23

Última modificação: 12/05/2017 | 13:07

O Ministério da Integração Nacional - MI, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Regional - SDR,  lançou em 2009, o Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional Edição 2010: homenagem a Celso Furtado como uma das estratégias para estimular o processo de discussão e divulgação da Política Nacional de Desenvolvimento Regional - PNDR .  A partir da segunda edição, o nome do consagrado economista brasileiro foi incorporado permanentemente à denominação do Prêmio que passa a se chamar "Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional".

Nas três primeiras edições homenageou a três brasileiros, Celso Furtado, Rômulo de Almeida e Armando Dias Mendes, respectivamente, pela importância deles como responsáveis pela condução do processo de reconhecimento político, social e econômico da questão regional brasileira e de inserção do tema na agenda de governo e no centro do debate nacional, a partir da década de 1950.

Em sua quarta edição reconhece e homenageia o geógrafo Milton Santos falecido em 2001. Suas teorias contribuíram para a compreensão do território nacional contemporâneo, bem como do processo de urbanização da América Latina e do Brasil. Autor de dezenas de livros que marcaram o estudo geográfico no país, Milton Santos é reconhecido internacionalmente. 


Objetivo Geral

Promover a reflexão, do ponto de vista teórico e prático, acerca do desenvolvimento regional no Brasil, envolvendo o poder público e a sociedade civil organizada na discussão e na identificação de medidas concretas para a redução das desigualdades de nível de vida entre as regiões brasileiras e a promoção da equidade no acesso a oportunidades de desenvolvimento.


Objetivos Específicos

I. Estimular o debate e a produção acadêmica sobre o desenvolvimento regional no Brasil;

II. Contribuir para o aprofundamento do conhecimento do tema e a busca de novas alternativas de intervenção no território em múltiplas escalas geográficas;

III. Identificar e dar visibilidade às boas práticas regionais em execução no País, no que se refere à gestão dos sistemas de governança do desenvolvimento regional e aos bens e serviços produzidos pelas redes de sistemas produtivos e inovativos em escala que extrapole o âmbito municipal;

IV. Identificar projetos inovadores a serem implantados no território, para melhoria da qualidade de vida, inclusão produtiva, diversificação da produção e melhoria e/ou manutenção da competitividade, que demonstrem potencial de transformação da realidade socioeconômica em múltiplas escalas, com especial interesse aqueles que privilegiem o uso sustentável de recursos naturais; 

V. Ampliar a base de discussão e implementação da PNDR.

VI. Fomentar a produção de projetos e soluções para áreas mais necessitadas com o Semiárido, território fronteiriço do Centro-Oeste e tecnologias para a Região Amazônica.

Categorias

I. Produção do Conhecimento Acadêmico: Concorrerão teses de Doutorado e dissertações de Mestrado, que abordem temas para o aprofundamento do conhecimento da questão regional brasileira ou para a implementação de ações comprometidas com a redução das desigualdades regionais, como forma de contribuir para a compreensão da temática e a identificação de medidas de intervenção adequadas ao estágio atual das disparidades regionais no Brasil.

II. Práticas Exitosas de Produção e Gestão Institucional: Concorrerão relatos de experiências em andamento, com resultados positivos concretos, implementados por instituições governamentais nas esferas federal, estadual ou municipal, por entidades privadas e pela sociedade civil, que tenham gerado mudanças estruturais e transformações do território onde está instalada e de seu entorno.

III. Projetos Inovadores para Implantação no Território: Concorrerão propostas inovadoras de atuação no território, de natureza social, econômica, cultural ou ambiental, com comprovado potencial de transformação da realidade socioeconômica em escala sub-regional ou macrorregional, voltados para dinamização econômica e inclusão produtiva, diversificação e fortalecimento da base produtiva e manutenção da competitividade.

IV.    Amazônia - Tecnologia e Inovações para o Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA): Concorrerão nessa categoria teses, dissertações e projetos para implantação no território da Amazônia, área de atuação da Sudam, com foco nos programas do PRDA - Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia, (Agricultura, Pecuária e Extrativismo Sustentável; Ciência, Tecnologia e Inovação; Infraestrutura Econômica (Transporte e Energia); Desenvolvimento Social (Educação, Saúde, Cultura e Lazer, Saneamento Básico e Segurança Pública); Indústria e Turismo.

V.     Centro Oeste - Desenvolvimento para a Faixa de Fronteira: Concorrerão,  projetos inovadores de atuação no território, de natureza social, econômica, cultural ou ambiental, com comprovado potencial de transformação da realidade socioeconômica da Faixa de Fronteira abrangida pela área de atuação da Sudeco (Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), voltados para a os temas concernentes ao desenvolvimento regional antes abordados (dinamização econômica e inclusão produtiva, diversificação e fortalecimento da base produtiva e manutenção da competitividade) e ainda às especificidades de temas próprios à Faixa de Fronteira, entre eles: fortalecimento institucional (interfederativa e internacional) e desenvolvimento transfronteiriço.

VI. Nordeste - Inovação e Sustentabilidade: Concorrerão propostas com foco em divulgar boas práticas em governança municipal que têm demonstrado resultados positivos e que possam servir de exemplo e estímulo a outros municípios da região; propostas inovadoras de atuação no território, de prestação de serviços ao cidadão, práticas de transparência pública e provimento de bens públicos aos cidadãos (saúde, educação, segurança, cultura e lazer); e propostas que gerem subsídios ao Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) que será atualizado e consubstanciado em agendas para o desenvolvimento regional.


Público-Alvo:

I. Pesquisadores que possuam ou já tenham possuído vínculo com instituição de ensino superior sediada no País ou no exterior, desde que o trabalho seja inscrito por brasileiro e o objeto de estudo se relacione a um tema ligado à problemática regional brasileira;

II. Pessoas vinculadas às instituições públicas, privadas, paraestatais, entidades de classe, agências e companhias que promovam o desenvolvimento regional;

III.  Pessoas vinculadas às Instituições da sociedade civil vocacionadas ao desenvolvimento regional, como Organizações Não Governamentais - ONGs, Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIPs, Organizações Sociais - OS, Cooperativas, Associações, Fóruns, Consórcios, Conselhos;

IV. Autônomos com atividades referentes à temática de desenvolvimento regional.


Premiação:

I.    Primeiro lugar: R$ 15.000,00 (quinze mil reais) e Diploma de Reconhecimento de Mérito na categoria em que concorreu 

II.     Segundo lugar: R$ 10.000,00 (dez mil reais) e Diploma de Reconhecimento de Mérito na categoria em que concorreu.

Apoio:

 

 

 

 

Patrocínio:

 

 

 

Realização: