Governo Federal amplia em 40% repasses para Adutora do Agreste

Governo Federal amplia em 40% repasses para Adutora do Agreste

Em 2017, obra recebeu R$ 194 milhões da União. Águas do Projeto São Francisco vão beneficiar mais de um milhão de pernambucanos
Por Assessoria de Comunicação

Publicação: 03/01/2018 | 14:54

Última modificação: 05/01/2018 | 16:37

Brasília-DF, 3/1/2018 - Para garantir mais celeridade às obras da Adutora do Agreste, localizada em Pernambuco, o Ministério da Integração Nacional tem priorizado os pagamentos para o empreendimento nos últimos dois anos. Nesse período, foi registrado um aumento anual de mais de 40% nos valores repassados para a obra, em comparação com os desembolsos realizados pela União em 2015. Apenas em 2017, a adutora recebeu mais de R$ 194 milhões do Governo Federal. Já em 2016, os investimentos foram de R$ 136,6 milhões, enquanto que o ano de 2015 somou cerca de 94,7 milhões.

A Adutora do Agreste é executada pelo governo de Pernambuco com apoio financeiro do Ministério da Integração Nacional. O objetivo é garantir o abastecimento de 1,3 milhão de pessoas na região Agreste do estado. A expectativa é de que a água já chegue a oito municípios e atenda cerca de 300 mil pessoas até o primeiro trimestre deste ano.

Benefícios

Ao todo, a adutora levará água a 23 cidades pernambucanas. O projeto prevê três interligações (Moxotó, Ibimirim e Tupanatinga) às bacias que, juntas, ajudarão a abastecer 15 municípios. Além disso, o empreendimento captará água no reservatório Ipojuca, já existente em Arcoverde, para atender a mais oito cidades.

A previsão é de que, ao longo do primeiro trimestre de 2018, a Adutora Moxotó capte a água do Eixo Leste do Projeto São Francisco, em Sertânia, e reforce o abastecimento das cidades de Arcoverde, Pesqueira, Alagoinha, Sanharó, Belo Jardim, São Bento do Una, Tacaimbó e São Caitano.

O trecho de Ibimirim já garante hoje o abastecimento de Arcoverde (PE), beneficiando cerca de 73 mil pessoas. E a terceira interligação à Adutora do Agreste - etapa de Tupanatinga - vai atender às cidades de Iati, Águas Belas, Itaíba, Tupanatinga, Buíque, Pedra e Venturosa. A expectativa do governo estadual é concluir esse trecho em julho de 2018.

Quando a obra for finalizada, os seguintes municípios serão contemplados: Pesqueira, Sanharó, Belo Jardim, Tacaimbó, São Caetano, Caruaru, Arcoverde, Alagoinha, Venturosa, Pedra, Buíque, Tupanatinga, Itaíba, Águas Belas, Iati, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, São Bento do Una, Lajedo, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Bezerros e Gravatá.

A obra

A Adutora do Agreste está dividida em duas fases com um total de 571 quilômetros de extensão, além das interligações. Inclui a construção de reservatórios, estação de tratamento e outras estruturas de engenharia que vão permitir o fornecimento de água à população de cidades que têm convivido com a maior seca dos últimos 100 anos.